top of page
  • Foto do escritorEm Foco Mídia

Tendências da harmonização facial


A harmonização facial é um conjunto de procedimentos que está se tornando a cada dia mais comum para as pessoas. O intuito é utilizar esses procedimentos, combinados da maneira correta, para melhorar a harmonia do rosto, transformando os traços e evitando o envelhecimento facial. A harmonização é indicada para homens e mulheres − basta que tenham o desejo de realizar alguma melhoria em seu rosto, seja nos dentes, no nariz, no queixo, nas bochechas, em rugas de expressões, dentre outros.

O primeiro passo para realizar o procedimento é fazer a análise do rosto do paciente, já que cada pessoa apresenta um formato facial próprio. A harmonização pode utilizar várias técnicas e, por isso, também envolve diferentes profissionais, como dentistas, dermatologistas, cirurgiões plásticos, fisioterapeutas, ou biomédicos estetas. As técnicas mais utilizadas são: o preenchimento de rosto, a aplicação de botox, o lifting facial, o microagulhamento, o peeling, o preenchimento labial e de olheira, a bichectomia e procedimentos dentários.

Larissa Anastácio, clínica geral e pós-graduada em harmonização facial, é a responsável pelo procedimento na E&R Odontologia e, de acordo com ela, inicialmente é feita a análise avaliando o que o paciente quer e observando sempre os princípios éticos. A partir disso, é repassado para o paciente o passo a passo do tratamento para um resultado natural. Ela ainda ressalta as contraindicações para a realização da harmonização, como no caso de gestantes e mulheres em fase de amamentação. Por fim, ela pontua sobre os cuidados e as questões que podem interferir no pós-procedimento: “Por exemplo, na questão do botox, se a pessoa é muito ativa, muito expressiva ou faz muito exercício, o tempo de durabilidade é menor. A pessoa também não pode dormir depois do procedimento durante quatro horas e precisa evitar coçar ou esfregar a mão no local aplicado”.

A cirurgiã-dentista com atualizações em harmonização facial da Maxillus Odontologia & Estética, Bruna Calazene, também destaca as contraindicações para grávidas e lactantes, devido à ausência de estudos que apontem as consequências dos produtos para o bebê. Juntamente com esse grupo, devem evitar os procedimentos, as pessoas com doenças autoimunes e problemas com coagulação sanguínea. Além disso, a cirurgiã reforça os cuidados que o paciente precisa ter constantemente no seu dia a dia para obter resultados positivos no processo, como passar protetor solar e cuidar da pele antes de dormir. Bruna diz que gosta de trabalhar sem exageros, realizando os procedimentos aos poucos e sem extrapolar os produtos utilizados em cada área. Ao seguir todos esses passos e manter um diálogo constante com o paciente, ela afirma que o profissional evita uma possível “desarmonização” no rosto. “A harmonização facial é impactante para as pessoas, é uma renovação para a autoestima. Às vezes, com um simples botox, a autoestima da pessoa já se eleva, porque realmente muda positivamente”, defende.


INDICAÇÕES

O procedimento vem se tornando mais popular. Para Michelle Vieira, implantodontista e proprietária da Prime Odontologia Especializada, esse fator acaba sendo consequência da busca muito grande das pessoas por um padrão de beleza atualmente. Diante disso, a harmonização orofacial passa a ser uma maneira de alcançar esse objetivo de forma gradativa, sutil e com procedimentos pouco invasivos. A profissional também reforça que a harmonização envolve vários procedimentos e elege aqueles que, muitas vezes, são indicados para um melhor resultado: “Os principais são os preenchimentos com ácido hialurônico e a aplicação de toxina botulínica. Os pacientes muitas vezes confundem a indicação de cada um. O preenchimento é realizado em regiões com perda de volume ou em rugas estáticas, ou seja, aquelas que já existem no rosto mesmo parado, como sulcos. A toxina botulínica é indicada para as rugas dinâmicas, que são aquelas que aparecem com os movimentos do rosto, como no canto dos olhos na hora de sorrir e na testa quando levantamos a sobrancelha”.

Além desses aspectos, Nayara Bicalho, especialista em ortodontia e responsável técnica da Clínica Grand Sorriso Odontologia, aponta outros motivos para o crescimento desse procedimento no mercado. “Acredito que o motivo para a harmonização estar tão em alta é pelo fato de ser um tratamento com rápida recuperação, sem corte e sem a necessidade de passar por um centro cirúrgico, além de se tratar de procedimentos que visam aumentar a autoestima e retardar o envelhecimento”, afirma. Ela acrescenta que é preciso entender que a harmonização vem para dar à face uma proporção mais simétrica. Sendo assim, o paciente também deve expor ao profissional suas queixas e as expectativas com o resultado.

A recuperação do procedimento é algo bastante individual, variando de acordo com os processos aplicados e a resposta do paciente. Muitas pessoas também deixam de realizar a harmonização com medo de o resultado ficar muito artificial. Porém, contatando o profissional certo, o resultado fica bastante natural. (Nathália Farnetti)

1 visualização0 comentário

Comentários


bottom of page