top of page
  • Foto do escritorEm Foco Mídia

Terapias complementares: Como elas podem ajudar?


Em tempos de tantas incertezas, é comum que as pessoas fiquem mais estressadas e, até mesmo, desenvolvam transtornos mentais sérios, como ansiedade e depressão. De acordo com um estudo desenvolvido pelo Grupo Abril, em parceria com a MindMiners, 54% dos brasileiros estão extremamente apreensivos com o cenário de crise sanitária no país. São muitas as preocupações que nos assolam neste momento: a necessidade do distanciamento social, o retorno das atividades comerciais, os números exorbitantes de infectados pela Covid-19 no mundo, entre muitas outras. Mas, apesar de toda essa pressão, não podemos deixar nossa saúde mental de lado. Sabia que as terapias complementares podem ajudar você neste momento?


O QUE SÃO?

Também conhecidas como alternativas, as Práticas Integrativas e Complementares (PICS) se referem ao conjunto de tratamentos terapêuticos não convencionais baseados em conhecimentos tradicionais. Atualmente, o Sistema Único de Saúde (SUS) oferece, de forma integral e gratuita, 29 desses procedimentos. A Acupuntura, Homeopatia, Meditação e Yoga são alguns dos exemplos mais conhecidos. De forma geral, o investimento nessas modalidades de tratamentos tem caráter preventivo. Ou seja, as práticas são adotadas com o objetivo de promover saúde e bem-estar, evitando o surgimento de eventuais doenças. No entanto, as PICS também podem ser utilizadas como terapias de apoio aos tratamentos convencionais, aliviando determinados sintomas pré-existentes.

De acordo com Jacqueline Barros, diretora da Equilibrium Hatha Yoga, o grande diferencial das terapias complementares está na visão do ser humano em sua totalidade, já que seu corpo, mente e espírito são considerados igualmente importantes na busca pela cura. Ela explica que “as características emocionais do ser humano influenciam em seus pensamentos, crenças, humor e autoestima. Por isso, terapias voltadas para o tratamento interior do ser, como um todo, são cada vez mais procuradas." No tratamento de transtornos mentais, as terapias alternativas têm o papel de fazer com que o indivíduo conheça melhor a si mesmo, podendo compreender, assim, a origem de suas enfermidades.


BUSCA CRESCENTE

Neste momento sem precedentes, muitas pessoas têm encontrado nessas práticas uma saída para o estresse do "novo normal" no dia a dia. De acordo com a terapeuta holística Carol Veiga, no entanto, não é indicado procurar terapias alternativas apenas por recomendações alheias. Segundo ela, é necessário “estudar bem o que será realmente benéfico, pois o que funciona para milhares de pessoas pode não garantir os mesmos efeitos para você”. Integrante da Associação do Processo Terapêutico Humanista e Outros (APTHO), ela defende que o maior benefício das terapias complementares é o autoconhecimento. “Conheça-te a si mesmo. Todos buscamos nosso propósito de vida: por que estamos aqui, do que gostamos e por que gostamos. E, para entender melhor o que se é, você precisa olhar onde todos temos medo, que é para dentro de si. Cada um entende seus sentimentos de acordo com sua trajetória de vida e suas vivências, cada ser é único. Se conhecer é uma aventura”, conclui Carol Veiga. Assim, que tal aproveitar este momento para se conhecer melhor e garantir saúde e bem-estar? (Maitê Louzada)

0 visualização0 comentário

Comments


bottom of page